Maternidade do Hospital Regional de Ponta Porã atrai gestantes que buscam parto humanizado

Terapias alternativas como massagens, bola de pilates e duchas quentes são utilizadas como alívio da dor na humanização do parto normal

A maternidade do Hospital Regional Dr. José de Simone Netto tem se destacado pelo intenso trabalho de humanização tanto no parto normal quanto na cesárea, se tornando referência na região. Isso tem atraído gestantes que buscam terapias alternativas no alivio de dor e um parto humanizado. A maternidade disponibiliza três salas de parto, equipadas com bolas de pilates, duchas quentes, som ambiente e aparelhos modernos de monitoramento do parto.

A maquiadora Jéssica Ayala de Souza, 27, buscou a equipe da maternidade do HR após não ter encontrado maternidades que ofereçam esse tipo de atendimento na cidade de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Após vasta pesquisa e recomendações de amigos, veio conhecer a equipe da maternidade do Hospital Regional de Ponta Porã.

“Antes mesmo de pensar em ter filho, eu já sonhava com o parto humanizado. Pesquisei muito, li bastante sobre o assunto em blogs, revistas, mas fiquei triste porque aqui na cidade e região na fronteira não tinha nenhum serviço especializado em humanização do parto, uma vez que a maioria das pessoas faziam cesariana, o que me entristeceu muito. Até que conheci a equipe da maternidade do HR de Ponta Porã, e me surpreendi com o excelente trabalho que está sendo desenvolvido aqui na maternidade, a equipe foi muito atenciosa comigo, me mostrou as salas de parto e me senti segura para ter meu bebê aqui”, contou Jessica Ayala.

A coordenadora da maternidade do HR, Dyolla Grance explicou que a direção do Hospital está sempre apoiando as novas técnicas de humanização do parto.

“Recentemente começamos a treinar os enfermeiros obstetras para o parto vertical na banqueta, que é feita de polietileno de média densidade e pode ser usada no chão ou sobre a cama. Ela possui um design especial do assento, permite total conforto para a parturiente, ao mesmo tempo em que o cóccix e ossos da bacia ficam livres. Nesta técnica a parturiente consegue conduzir melhor o parto, assim que o bebê sai, ele vem para os braços da mãe. O pai também pode ficar mais próximo e envolver-se mais, já que ele pode se sentar atrás da mulher, abraçando-a pelas costas ajudando-a a se apoiar”, explicou Dyolla.

Saulo Matheus de Souza Benites, filho de Jéssica, veio ao mundo na tarde do dia 01 de agosto, através de parto natural na banqueta, ao som de músicas ambiente e meia luz.

“Desde o momento que cheguei à maternidade, fui muito bem assistida, as enfermeiras muito atenciosas auxiliavam o tempo todo a mim e ao meu esposo, que esteve presente. Recebi massagem, fiquei do jeito que me sentia confortável, caminhei no solário para ajudar na evolução do parto, utilizei a bola de pilates que me ajudou muito, além dos banhos quentes. Foi muito mais do que eu sonhei, pude realizar o meu sonho de ter o parto humanizado e na cidade em que moro. Se pudesse faria tudo novamente, experiência única e incrível”, relatou emocionada.